quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

ALEXANDRE, O GRANDE

A beira da morte, Alexandre convoca seus generais e seu escriba e relata seus três últimos desejos:

1) Que seu caixão seja transportado pelas mãos dos mais reputados médicos da época;
2) Que seja espalhado no caminho até seu túmulo, seus tesouros conquistados (prata, ouro, pedras preciosas, etc...);
3) Que suas duas mãos sejam deixadas balançando no ar, fora do caixão, a vista de todos.

Um de seus generais, admirado com esses desejos insólitos, pergunta a razão destes. Alexandre explica então:

1) Quero que os mais iminentes médicos carreguem meu caixão, para mostrar aos presentes que estes NÃO têm o poder de cura perante a morte;
2) Quero que o chão seja coberto pelos meus tesouros para que as pessoas possam ver que os bens materiais aqui conquistados, aqui permanecem;
3) Quero que minhas mãos balancem ao vento, para que as pessoas possam ver que de mãos vazias viemos, de mãos vazias partimos.

Cuidado com o SER, o PODER e o TER. São eles as maiores forças ou fraquezas do ser humano.

3 comentários:

Anônimo disse...

É amiga!!!! Falou e desse "TUDO"!!!!
Mais uma grande lição!!! Mandou super bem!!!!
BJUS DÊ

Anônimo disse...

sim vc tem toda razao,beijos

Mamãe Rosangela disse...

oi De

to passando pra deixar um bju enorme, e pedir pra vc passar no nosso blog pra ver a retrospectiva da Nick..

bjus e otimo dia a vcs